NOSSA HISTÓRIA

A IGREJA EVANGÉLICA REFORMADA DE ANGOLA (IERA), foi co-fundada aos 25 de Junho de 1922, em Kikaya, Província do Uíge pelos missionários Archibald Patterson, de nacionalidade Inglesa e proveniente da cidade de Liverpool e pelo Ernest Nickleus de nacionalida Suíça proveniente da Igreja Reformada da Suíça; a Missão do Norte de Angola (M.N.A.), abrangia apenas o Norte do país; nas três principais Estações Missionárias; Kikaya, Kinkuni e Kimbele.


A década de 60, foi uma época de afirmação dos nacionalistas Angolanos, e a Igreja deu também o seu contributo através de uma mensagem libertadora. Seguindo, deste modo, o exemplo de Cristo que veio libertar aqueles que se encontravam oprimidos. Quantas vezes os missionários, catequistas e pastores foram presos pelas autoridades coloniais acusados de contribuírem para abrir as mentes dos Angolanos? Pois que no entender das autoridades coloniais a mensagem que os missionários ensinavam era dirigida para conversão dos membros mas também reflectia ainda ideais libertadores do jugo colonial. Assim sendo, com o início e intensificação da guerra de libertação nacional, contra o regime colonial português em 1961, muitos pastores, catequistas e membros da IERA, foram presos e desterrados nos campos de concentração e a expulsão do Missionário pelas autoridades coloniais, que o acusavam ser incitador e insinuador dos negros à revolta, na Região Norte do país a Missão dividiu-se em três partes: uma parte refugiou-se para República do Zaire actual RDC, a outra nas matas com os guerrilheiros e a terceira permaneceu nas Vilas e Cidades, sob o controlo do Governo Português. E com o repatriamento do missionário e dispersão dos fiéis, as Missões de Kikaya, no Uíge e Kinkuni, em Sanza Pombo, fundadas por Missionário, foram ocupadas pelas forças Militares Portuguesas; e intensificaram a caça ao homem.

Acção essa que veio culminar com o assassinato de muitos pastores, catequistas e os seus colaboradores, bem como proibiram a realização de cultos de adoração a Deus e outras manifestações religiosas. Apesar disso, a guerra não destruiu a fé dos membros mas sim as infra-estruturas que até hoje está difícil para a igreja fazer a sua e construção.

A insistência na obra do Evangelho resultou na prisão pela PIDE-DGS de alguns pastores como Victor Ventura Domingos, Azevedo Pereira, Domingos Cangundo, entre outros presos. Os que se escaparam refugiaram-se para actual RDC e Congo Brazaville em busca de segurança e onde permaneceram por muitos anos.

Na actual RDC, a Igreja era chamada de MISSÃO EVANGÉLICA DO NORTE DE ANGOLA NO EXÍLIO. Para mais tarde substituir o termo ?MISSÃO? por ?IGREJA?, e assim a Igreja passou a ser denominada no exílio ?IGREJA EVANGÉLICA DO NORTE DE ANGOLA? (IENA). Isso aconteceu numa reunião dos refugiados convocada por malogrado Rev. Manuel da Conceição, no dia 24 de Novembro de 1963, tida lugar no Centro da Igreja Baptista do Oeste do Zaire oriundo de American Foreigner Baptist Missionary.

Com a reabertura da Missão (já Igreja) em 1974, reatou o sentimento de engajamento e confiança na responsabilidade de reorganizar a Igreja, procurando assim unir as três partes separadas durante longos anos.

Com a proclamação da Independência de Angola pelo Saudoso Dr. António Agostinho Neto, no dia 11 de Novembro de 1975, anos depois a Igreja reuniu de 10 a 12 de Março de 1978 em Assembleia Geral e substituiu o termo ?NORTE? que restringia e isolava o raio de acção evangélica da igreja por termo ?REFORMADA?. Assim, a Igreja passou a ser denominada ?IGREJA EVANGÉLICA REFORMADA DE ANGOLA? (IERA). Apesar do seu fundador ter vindo da Igreja da Inglaterra, a IERA nunca foi filial dessa. Ela goza de personalidade e capacidade jurídicas próprias, regendo-se nos Estatutos e Regulamento de Ordem Interna, em conformidade com a Constituição do país. Hoje a igreja estende-se em 10 Províncias dentre as 18 Províncias que constituem o Território Nacional; nomeadamente; Uíge, Malanje, Kwanza Norte, Kwanza Sul, Bengo, Luanda, Moxico, Zaire, Cabinda e Cunene. A IERA conta nesse momento com mais de 300 mil membros a nível nacional e 370 pastores que cobrem a IERA nas áreas onde ela existe. Fruto da acção evangelizadora dos cidadãos que sempre se sacrificaram em manter a chama acesa do Evangelho de Salvação.

AS MISSÕES

Com a ascensão a independência de Angola, as duas Missões aspiraram o ar de desocupadas abrindo assim, perspectivas de formação multifacetada dos nativos tal como servira antes. Todavia, devido a sua localização geo-estratégica para acções militares, Kikaya, voltou a ser ocupada pelas tropas das FAPLA, no período de 1975 a 1991.Em 1992, a Igreja iniciou a reconstrução, porém, com o reinicio da guerra após eleições de 1992, a Missão de Kikaya voltou a ser saqueada até hoje, estando as duas Missões de Kinkuni e Kikaya em completa ruína.

Hoje, aquelas Missões que serviram de Centro de Formação de Quadros que servem o país, apresentam um assustador estado de degradação.

2 comentários:

  1. http://ministerioebenezerbp.blogspot.com.br/ SEGUINDO lindo trabalho DEUS TE ABENÇOE

    ResponderEliminar
  2. Historia dramatica, mais não me comoveu tanto.

    ResponderEliminar